Carmen Paternostro e o Grupo Intercena comemoram 40 anos com a estreia do espetáculo Narcissus 

Postado em 05/09/2016 11:13

 

 

Em parceria com o grupo Toca de Teatro, a montagem explora as diversas faces do mito de Narciso e marca a retomada do pioneiro Grupo Intercena, coletivo criado no nicho de grupos residentes do ICBA, durante a ditadura militar, em 1976

 

O espetáculo “Narcissus”, contemplado pelo Edital Setorial de Teatro da FUNCEB – faz uma convergência no cenário teatral bem importante: são 40 anos de carreira da diretora, coreógrafa e dançarina Carmen Paternostro; uma década do grupo Toca de Teatro; a retomada do grupo Intercena, após mais de 10 anos da encenação do Evangelho Segundo Maria, no Forte do Barbalho; e mais uma estreia do ator Danilo Cairo (vencedor do Prêmio Braskem de Teatro, este ano), contando com a participação especial do experiente ator Rui Manthur, sob a direção de Paternostro.

 

“A vontade de criar que a gente tem é tão permanente que a gente não percebe que se passaram 40 anos. Eu continuo sempre inspirada a criar, com olhar atento à contemporaneidade e às dúvidas que nos levam adiante. Não acredito em “genialidade”, acredito em experimentação. É isso é que me move até hoje, acredita Carmem Paternostro.

 

Nesse encontro, eles mergulham no universo poético, mítico e filosófico de Narciso, uma das personagens mais intrigantes, polêmicas e controversas da história ocidental. Contudo, inclui citações de Cora Coralina, Mário Quintana, Osho, Manoel de Barros, Paulo Leminski, Fernando Pessoa, Ferreira Gullar e textos autorais.

O espetáculo dialoga com elementos da dança. O eixo não é propriamente o texto. A montagem se calca também no discurso corporal, e incorpora os recursos cênicos (música, cenografia, vídeo etc) como processo de dramaturgia colaborativa. A contracena se faz com todos esses elementos narrativos.

 

“Há quatro registros literários do mito de Narciso e, em torno desses, muitas variações. Os mais antigos são de Ovídio e Cânon, no século I , seguindo-se dois mais recentes, de Pausânias, no século II. Ovídio, em seu belo poema Metamorfoses, nos dá a versão mais conhecida e mais extensa, falando-nos da desventurada relação entre Eco e Narciso (…)”

 

Na versão de Ovído, o belíssimo Narciso teria vida longa, desde que nunca visse seu próprio rosto. Ao crescer, homens e mulheres se apaixonam por ele. Porém, o orgulho e a arrogância o fazem esnobar os admiradores – desprezando até mesmo as ninfas. Uma delas, chamada Eco, o amava incondicionalmente. Por conta desse desprezo as moças pedem aos deuses vingança. E assim a deusa Némesis o condena a apaixonar-se pelo seu próprio reflexo na lagoa de Eco. Encantado pela própria beleza, Narciso deita-se no banco do rio e morre. Logo depois: Afrodite o transforma numa flor: Narciso.

 

“Muito de Narciso está em cada um de nós. Isso poderá ser percebido no espetáculo, por meio de diversas questões da sociedade contemporânea: solidão, superexposição, carência, fragilidade… O avesso do mito de Narciso e o que está por trás desse comportamento esquizofrênico”, conclui o ator Danilo Cairo.

 

 

Espetáculo Narcissus

Data: De 25 de agosto a 17 de setembro – quinta a sábado.

Horário: 20h

Local: Cine-Teatro ICBA (Goethe Institut Salvador) – AV. 7 de setembro, 1809. Corredor da Vitória – Salvador – BA.

Valor: R$10, 00 (meia entrada) e R$20, 00 (inteira)

Os ingressos também podem ser comprados através do site www.compreingressos.com ou pelo telefone. (71) 2626-0038.

Promoção: toda quinta-feira, na Quinta Literária, o ingresso também poderá ser trocado por um livro de literatura, em bom estado.

Comentários: