Carros usados de locadora: vale a pena comprar?

Postado em 09/06/2018 11:17

A venda de veículos usados no país aumentou 7,21% no ano passado se comparado a 2016, de acordo com a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). A crise do setor foi uma das responsáveis pelas mudanças nos hábitos do consumidor brasileiro. Acompanhando esse crescimento, está uma categoria bem específica: os carros usados de locadora, vendidos pelas empresas do setor após o uso para aluguel.

A prática não é nova mas, assim como os seminovos e usados, vem se apresentando como opção para os consumidores em busca de um veículo mais acessível. Em 2016, as empresas do setor compraram 217.848 carros novos. Já no ano passado, com um alívio na crise, as locadoras adquiriram 359.702 veículos.

Os dados, que são da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (ABLA), mostram que houve um aumento na frota do setor acompanhando a melhora do cenário. Assim, mais usados estão à venda neste ano. E as empresas de aluguel de carros também sabem negociar seus produtos e afirmam, para atrair o cliente, que aquele é um veículo  de procedência.

Mas isso não é só propaganda. Os carros que compõem a frota de uma locadora passam por todas as revisões de forma sistemática, conta Menfis Silva, da área de marketing da Movida. As checagens são feitas nas concessionárias das marcas, de acordo com o que determinam para não perderem a garantia.

Além disso, a maioria dos usados de locadoras são vendidos com pouco mais de um ano de uso. Isso é um ponto positivo em especial para o diretor da Kelley Blue Book (KBB) do Brasil, Carlos Domingues. A empresa é especializada em pesquisas de mercado sobre automóveis, com foco no consumidor.

Domingues explica que os carros têm uma “curva de avaria”, e ela é bastante regular. A maioria dos problemas mecânicos que os veículos apresentam aparece dentro do primeiro ano de uso. No segundo, esse número se estabiliza e passa a cair até o quarto ano de uso. Só então o número de defeitos aumenta de novo.

Ou seja, os carros usados de locadora são vendidos na fase em que dão menos problema, depois do primeiro ano de uso. Dados da ABLA indicam que a idade média dos carros vendidos pelas locadoras foi de 18 meses em 2017.

Mesmo assim, muitos consumidores consideram que estes não são veículos desejáveis. Para Domingues, essa visão é um pouco distorcida. “Na minha experiência, os carros de locadora dão muito menos problema do que o mercado pensa”, ilustra ele.

E o consultor Paulo Garbossa concorda. Além disso, para ele, outro diferencial dos usados de locadora é o preço. O consultor conta que as locadoras compram veículos em grande quantidade, o que diminui o valor na hora da revenda. O desconto, contudo, também estará valendo quando for hora do terceiro dono, já que o passado de locadora estará registrado no histórico do veículo.

Outro ponto positivo dos carros usados de locadora é que elas devem oferecer a garantia de 90 dias, como prevê o código de defesa do consumidor. Essa obrigação não existe se o negócio for feito entre duas pessoas físicas e nem em leilões.

Além disso, as locadoras não vão adulterar hodômetros para fazer a quilometragem parecer menor, como pode acontecer quando o veículo tem outras origens, completa Domingues, diretor da KBB

Portanto, os carros usados de locadora costumam ser mais baratos, ter todas as revisões da marca feitas, idade média de um ano e meio, e garantia de 90 dias, o que o torna um produto a ser considerado.

Entretanto, é preciso ficar atento a alguns detalhes, como aponta o perito e engenheiro mecânico Sérgio Melo. Os carros de locadora costumam ter uma quilometragem mais alta que a de um veículo particular do mesmo ano. Além disso, o uso pelo qual passou geralmente é mais pesado.

“Cada hora entra uma pessoa, e ninguém tem pena nenhuma do carro alugado, pisam com tudo no acelerador. Então, embora seja um veículo com revisões em dia, é um produto judiado”, coloca ele.

Por isso, os carros usados de locadora merecem entrar na pesquisa do consumidor, já que apresentam muitas vantagens. Mas também há lados negativos que devem ser observados antes de fechar negócio.

Comentários: