Chicossauro Rex: Libertem os Irmãos Metralha! Eles são gente boa!

Postado em 13/12/2013 9:25

Irmãos Metralha

Estava pensando ontem com meus botões sobre a expressão: “Trabalhar feito um condenado”. Essa é do tempo em que presidiário tinha que cumprir pena quebrando pedra, trabalhando forçado, com uma bola de ferro presa aos pés para evitar a fuga.

Daí, me veio a imagem dos últimos condenados por corrupção no Brasil: engravatados, com curso universitário, emprego público, funcionários de carreira, políticos de projeção, mas que chafurdaram na mesma lama que Zé Prego, preso na semana passada após surrupiar a bolsa de uma velhinha na Praça da Sé. Qual a diferença entre roubar cofres públicos e bolsa de velhinha? Nenhuma. Aliás, se for pensar bem, ao assaltar cofres públicos rouba-se a bolsa de centenas de milhares de velhinhas, crianças, cidadãos.

Prosseguindo: tem um ex-deputado que tenta cumprir a condenação em sua residência, pois tem problemas de saúde que o obrigam a manter uma alimentação equilibrada, com refeições a cada 3 horas e ainda deliciar-se diariamente com salmão fresco ou defumado na dieta, por conta de problemas que o excelentíssimo senhor tem com o fígado.

Pois que, Zé Prego, preso por ladroagem no Centro de Salvador, tem sérios problemas com o fígado, uma cirrose em estado avançado que, caso ele tivesse um acompanhamento médico decente o levaria a cuidados médicos extremos, podendo chegar a um transplante de fígado.

É, lembro de uma frase da qual não sei o autor: “Todos são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros”. Teve um desses condenados, inclusive, que conseguiu um emprego de R$ 20 mil em um hotel, onde o maior salário de funcionário era de R$ 2 mil. Isso para poder sair e trabalhar durante o dia, já que a noite deveria passar em uma cela de 9 metros quadrados e esperar o sol nascer quadrado a cada manhã. O cara não teve nem a preocupação de ser igual aos outros.

Por fim, pensei nesses corruptos e corruptores “trabalhando feito condenados” com roupinha de Irmãos Metralha (171-117), quebrando pedra, com uma corrente prendendo os dois pés, bebendo água de torneira filtrada e tomando, às escondidas, caninha 51 contrabandeada pelos carcereiros, em lugar do Bala 12. Tem alguma diferença entre Zé Prego e o deputado/funcionário público/presidiário condenado pelo nossa competente Justiça?

+++

Ainda to ressabiado com o The Voice Brasil de ontem à noite. Cara, apenas me agendei para assistir ao Programa por causa da melhor voz (e interpretação – faltam bons intérpretes no País) que vi surgir no Brasil nos últimos tempos: Dom Paulinho (pode lançar CD/DVD que eu compro!). E não é que Lulu Santos, conhecido hitmaker, decidiu eliminar o cara e manter uma roqueira com voz de liquidificador (adorei a apresentação dela, veia rock, atitude, mas nem chega aos pés do adversário eliminado). Perdi a atenção pelo programa na hora e podem contar um ponto a menos no Ibope de quinta-feira à noite na Globo.

+++

Chuvas, destruição, desabrigados, desalojados. Gente, todo ano a mesma coisa. O Brasil é o País mais sem noção de planejamento do planeta. Todo mundo sabe que água precisa escorrer, ter direção. Todo mundo sabe que o lixo jogado nas ruas e rios pela própria população é o causador maior dessas tragédias. Falta planejamento público, mas falta também educação da população. …E eu que fico juntando comprovante de cartão de débito e papel de bala no bolso. Tô me sentindo o próprio Cascão sem juízo.

 

Comentários: