Cotado para presidir PT-BA, Éden nega ‘categoricamente’ pretensões nas urnas

Postado em 10/01/2019 9:29

O assessor especial do senador eleito Jaques Wagner (PT), Éden Valadares, negou “categoricamente” que, ao pleitear a presidência do PT na Bahia, cogite ser candidato à sucessão do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), em 2020, ou a do governador Rui Costa (PT) em 2022.

“Não. Categoricamente, não [tenho este objetivo]. E acredito que é muito prematuro falar em eleição. Acabamos de sair de um processo eleitoral. É preciso deixar quem venceu, governar; e quem é oposição, se organizar. A sociedade não espera da gente a antecipação de novas disputas. É hora de trabalhar”, declarou, em entrevista ao Bahia Notícias.

Assim como Wagner, Éden defendeu a renovação no PT e, segundo o assessor, na medida em que cresce este sentimento aumenta a “lembrança” para que ele dispute a presidência do PT na Bahia.

“É preciso atualizar o partido para esses novos desafios. Renovar, então, não é somente uma questão geracional, é de prática, de postura, de organização, de linguagem, de ousar uma nova forma de fazer política. Estou certo que encontramos esse sentimento no conjunto do partido. Temos conversado com parlamentares, movimentos sociais, militantes de toda a Bahia e percebemos isso muito forte. É tempo de uma nova primavera para o PT”, pontuou.

Bahia Notícias

Comentários: