Domingos Gastronômicos: Carangodé levanta tudo

Postado em 01/11/2017 5:22
Marisqueira de Encarnação de Salinas

Na terceira edição dos Domingos Gastronômicos – “Culinária Baiana Original com Arte, por Manuel Querino”, no próximo domingo, 05.11, o Ponto do Vital vai mais uma vez servir de entrada a iguaria mais afrodisíaca de todo o livro, que foi editado em 1916. Se trata do Caldo de Carangodé, que Vital trouxe de sua terra, Santo Amaro, e que, dizem, levanta até defunto. Carangodé é um molusco encontrado no Recôncavo Baiano, uma espécie de ermitão gastrópode que utiliza conchas vazias como abrigos móveis. O molusco é utilizado pela população da região como alimento, mas também para fins medicinais, pois têm funções cicatrizantes, fortificantes, coagulantes e cientificamente comprovadas, afrodisíacas. Eita bichinho danado…

DOMINGO DE DRAMATURGIA GASTRONÔMICA NO CENTRO HISTÓRICO

15 restaurantes do Pelourinho e do Largo do São Francisco abrirão suas portas neste domingo, 05.11, a partir das 11h, para a terceira edição dos Domingos Gastronômicos – “Culinária Baiana Original com Arte, por Manuel Querino”, ação do novo Pelourinho Dia e Noite, da Secretaria de Cultura e Turismo de Salvador, sob a coordenação da Diretoria de Gestão do Centro Histórico, que promove a criação de cardápios a partir de receitas descritas no livro “Arte Culinária na Bahia”, de 1916, de Manuel Querino. Os próximos acontecem nos dias 19.11 e 03.12.

Mas não é só isso… Os cardápios – entrada, prato principal e sobremesa com preços de no máximo R$ 50,00 – são harmonizados com pequenas cenas de “dramaturgia gastronômica”, criadas por Aninha Franco, que têm à frente da direção de encenação Rita Assemany e que começam a acontecer nos vários espaços a partir das 12h30.

Assim, os atores Carlos Betão, Amos Heber, Bruno Roma, Dino Brasil, Diogo Teixeira e Zé Carlos interpretarão em cenas curtas, diversos personagens da cultura baiana, como o poeta Gregório de Mattos, o babalorixá Joãozinho da Goméia, o político Cosme de Farias ou os rebeldes Lucas Dantas e Manuel Faustino da Sedição dos Alfaiates.

A intérprete Wil Carvalho cantará “Composições Receitas”, um gênero criado pelo sambista Batatinha para a Feijoada, e repetido por muitos compositores. Tudo muito gostoso…

No mesmo dia, além de atrações para o público infantil, acontece a Feira de Artes e Encantos do Sagrado, no Montepio do Artistas, no Largo do São Francisco, com obras originais de 25 artesãos baianos e a abertura à visitação do sobrado que abriga desde 1883 a Sociedade Protetora dos Desvalidos, fundada em 1827 por um grupo de 19 homens negros livres e tinha como propósito angariar e poupar recursos financeiros de seus associados para comprar alforrias.

100% MESTIÇO

Como tudo que é bom, o Quindim de Iaiá, que é mesmo uma delícia, é produto da mestiçagem baiana… É quase um puro-sangue português, mas foi batizado e modificado pelos escravos. O nome talvez derive do iorubano. Significa dengo, meiguice, encanto. Antigamente, Iaiá era o tratamento que os escravos davam às meninas e às moças da casa grande.

E toda esta doçura foi presentada ao público no último domingo, 29.10, quando Elíbia Portela inaugurou a ação “Receitas Doces da Vovó” – concebida para o Pelourinho Dia e Noite pela Diretoria de Gestão do Centro Histórico – falando sobre o Quindim de Iaiá em pleno Memorial do Convento do Carmo.

Elíbia também distribui a iguaria para os presentes nesta ação que tem como objetivo resgatar e divulgar receitas antigas e tradicionais da doceria baiana e por isso acolherá receitas apresentadas pelo público, criando assim um cardápio de doces tradicionais da nossa terra. AS receitas serão recebidas no e-mail receitasdocesdavovo@gmail.com.

O “Receitas Doces da Vovó”, do Pelourinho Dia e Noite 2017 é uma das atividades do programa que no domingo se incorpora ao 3º Viva o Carmo. Abraçando o movimento multicultural, o Pelourinho Dia e Noite firmou uma parceria que irá incrementar as apresentação de atrações artísticas e dar apoio à infraestrutura do evento.

Monica Millet fala sobre Mãe Menininha na cozinha - foto Anderson Moreira.

Monica Millet fala sobre Mãe Menininha na cozinha – foto Anderson Moreira.

Comentários: