Economizadores de combustíveis influenciam o seguro veicular

Postado em 15/05/2018 9:06

Existem inúmeros tipos de economizadores de combustíveis disponíveis no mercado. Alguns prometem diminuir o consumo por meio da reorganização da central eletrônica, alterando a regulagem do motor e reduzindo até 15% do gasto. Outros, por sua vez, afirmam aumentar o volume do combustível na entrada do motor (famoso vapor de gasolina). Nenhum deles, no entanto, comprova a eficiência com pesquisas validadas. Pensando nos motoristas que ainda assim escolhem instalar os dispositivos, procuramos saber se o seguro pode optar por não cobrir um sinistro que ocorra fruto da alteração.

O professor da Escola Nacional de Seguros José Varanda explica: “qualquer alteração no carro deve ser comunicada à companhia de seguros. A negativa do sinistro pode ocorrer se o incidente for causado por um componente adicionado depois da vistoria”. Isso significa que o motorista pode não receber o dinheiro do seguro se não avisar a empresa que adotou um dos economizadores de combustíveis.

O que deve ser feito, então? O motorista que quer instalar o economizador em seu veículo deve procurar uma seguradora que reconheça o dispositivo. Nesse caso, a política de aceitação de risco vai constar a informação e o valor do seguro será atualizado. Se a empresa já contratada autoriza a alteração, haverá um coeficiente de ajuste. Ou seja, o seguro vai ficar um pouco mais caro, porque o dispositivo é um assessório a mais no carro.

“É preciso que fique claro de que o consumidor tem o direito de usar os dispositivos. Caso a seguradora contratada não concorde em proteger o carro com a alteração, ela cancela a apólice e devolve o prêmio proporcional ao período de vigência do contrato”, acrescenta a professor. O prêmio proporcional é o valor que sobra da cobertura anual, referente aos meses que você não utilizou seguro.

Quando o processo é feito da maneira correta, com companhia de seguro ciente e autorização para a alteração no carro expedida, os acidentes serão cobertos.Comprovada a culpa do economizador, a seguradora pode requisitar o ressarcimento na fábrica do dispositivo.

R7

Comentários: