Em 2017, IBGE estima safra baiana de grãos 42,6% maior que a de 2016

Postado em 11/01/2018 9:00
soja2016_0

**Estimativa da Safra 2017 de grãos na Bahia é 42,6% maior que a de 2016, crescimento acima da média nacional (29,5%), refletindo crescimento de 12,1% na área a ser colhida;
** Em relação à previsão de novembro, a estimativa para a safra baiana de grãos não teve variação, enquanto que a estimativa para a produção nacional caiu 0,5%;
** Com aumento de quase 10,0% na produção baiana, safra nacional de algodão deve ser 4,7% maior em 2018;
**As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

A estimativa de 2017, atualizada em dezembro, para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos), totalizou 8.078.077 toneladas, o que representa um crescimento de 42,6% em relação à de 2016 (5.665.096 toneladas). A área a ser colhida foi estimada em 3.050.718 hectares, mantendo-se em crescimento (12,1%) frente a 2016 (2.721.273 ha). Não houve revisões em relação à estimativa de novembro nem para produção baiana de grãos, nem para a área a ser colhida.

Em relação a 2016 (42,6%), o crescimento previsto para a safra 2017 de grãos na Bahia se consolida acima da média nacional. A estimativa de dezembro para a safra nacional totalizou 240,6 milhões de toneladas, 29,5% (54,8 milhões de toneladas) maior que em 2016 (185,8 milhões de toneladas). A área a ser colhida (61,2 milhões de hectares) cresceu 7,2% frente a 2016 (57,1 milhões de hectares). Em relação à informação de novembro (241,9 milhões de toneladas), a estimativa da produção diminuiu 0,5%.

A Bahia terminou 2017 como o oitavo estado produtor de grãos do país, responsável por 3,4% da safra nacional. Mato Grosso é o líder, sendo responsável por pouco mais ¼ da produção (26,3%), seguido pelo Paraná (17,3%) e Rio Grande do Sul (15,2%).

O terceiro prognóstico para a safra nacional 2018 mostra que a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para o ano foi estimada em 224,3 milhões de toneladas, 6,8% menor que o total da safra de 2017. Essa redução deve-se, principalmente, às menores produções previstas para o milho (15,0 milhões de toneladas) e a soja (2,7 milhões de toneladas).
Em relação ao prognóstico anterior, houve um acréscimo de 4,8 milhões de toneladas (2,2%), devido às boas condições climáticas observadas em dezembro, que proporcionaram impactos positivos, principalmente na produção de soja (3,8%), milho 1ª safra (3,1%) e arroz (2,1%).

Com aumento de quase 10,0% (9,8%) na produção baiana, safra nacional de algodão deve ser 4,5% maior em 2018

Embora não haja prognóstico consolidado da safra de grãos por estado, os dados disponíveis até o momento indicam contribuições positivas da Bahia na produção nacional de algodão herbáceo (safra 2018 9,8% maior que a 2017). O estado, segundo maior produtor do país, deve participar com 22,8% do total a ser colhido em 2018, com uma produção de 914,8 mil toneladas, um crescimento de 9,8% em relação a 2017.

Para o Mato Grosso, maior produtor do País, a estimativa é de 2,7 milhões de toneladas, aumento de 3,2% em relação ao obtido em 2017. Estes dois estados devem contribuir com 89,0% da produção nacional de algodão em 2018, que deve totalizar 4,0 milhões de toneladas, um aumento de 0,2% em relação ao levantamento realizado em novembro. A área plantada e a área a ser colhida aumentaram 0,1% e o rendimento médio aumentou 0,1%. Ao todo, deve ser plantada uma área de 1,0 milhão de hectares de algodão no país.

Comentários: