Larissa Ramos: 10 anos do Museu de Gastronomia

Postado em 27/08/2016 5:27
museugastro

 

Seminário misturou arte e reflexão para comemorar os 10 anos do Museu de Gastronomia – foto: Larissa Ramos

Mais um motivo para fazer uma visita ao Pelô

No mês de agosto de 2016 o museu de gastronomia da Bahia completou 10 anos. Você não sabia que temos um museu ligado a este segmento? Pois temos e já tem uma década em atividade lá no Largo do Pelourinho, sob a criteriosa chancela do Senac.

Entre as festividades promovidas para a ocasião estiveram a 10a edição do Seminário de Gastronomia, que este ano discutiu, sob diferentes perspectivas, os peixes, mariscos e crustáceos da Bahia; o lançamento de um livro com o mesmo tema e também uma exposição gratuita de retrospectiva dos melhores trabalhos do museu, que continua aberta ao público.

O espaço foi concebido pelo antropólogo Raul Lody. Ele tem uma visão muito moderna e interessante de museu. A proposta é que o conteúdo abordado não seja uma velharia enclausurada e sim algo dinâmico e parte da cultura. Em mais de uma ocasião, já presenciei Lody dando a seguinte explicação: “o visitante é convidado a comer o museu”, uma referência à possibilidade de degustar todo tipo de iguaria da culinária baiana no Restaurante Escola do Senac, situado no primeiro andar do mesmo complexo.

Caso esta não seja a sua primeira opção de menu, não tem problema. O Pelourinho oferece alternativas muito refinadas de restaurante que justificam a visita, como o Villa Bahia, situado no hotel de mesmo nome no Largo do Cruzeiro de São Francisco, ou o tradicional e delicioso Maria Mata Mouro, na rua da Ordem Terceira.

Quando o problema é grana há uma outra programação. Pode-se comer em casa mesmo e deixar somente a sobremesa para o Pelô. A sorveteria Le Glacier Laporte também fica no Largo do Cruzeiro de São Francisco e tem misturas de sabores bem inusitados, que vale a pena conferir e se deliciar.

Comentários: