Obras de requalificação melhoram acessibilidade no Centro Histórico

Postado em 14/09/2018 3:30

Os passeios públicos na região do Centro Histórico de Salvador recebem atenção especial do Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento Urbano (Conder). Gradativamente, pessoas com mobilidade reduzida, idosos, cadeirantes, mães com bebês no colo ou no carrinho estão podendo circular com mais conforto, segurança e, assim, apreciar o patrimônio cultural e histórico existente no território tombado.

“As obras de requalificação urbana em várias ruas do Centro Antigo, incluindo o Centro Histórico e Pelourinho, têm em comum, além da valorização de áreas históricas da capital baiana, a proposta de garantir também acessibilidade para baianos e turistas que queiram circular e conhecer o berço da cultura baiana e sua importância na formação do povo brasileiro”, explica o gestor da Diretoria do Centro Antigo de Salvador (Dircas/Conder), Maurício Mathias.

Pelô Acessível

No Pelourinho, o Governo do Estado também implantou a rota acessível, com intervenções de melhoria do acesso de baianos e turistas com deficiência ou mobilidade reduzida. O projeto Pelô Acessível – elaborado pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e executado pela Conder – compreende um circuito de 1,3 quilômetro de extensão, iniciando no Cruzeiro do São Francisco.

Além da instalação de rampas na Fundação Casa de Jorge Amado e no Museu da Cidade, as calçadas foram alargadas ao longo da Rua Gregório de Matos, contornando o alto do Largo do Pelourinho, seguindo pela Rua Alfredo de Brito e terminando no Terreiro de Jesus. Mais recentemente, as ruas das Laranjeiras, Inácio Acioli e um trecho da João de Deus também foram contempladas.

“Como realizamos a manutenção permanente deste território, percebemos pontos de melhorias, a exemplo do alargamento das calçadas das ruas Frei Vicente e J.Castro Rabelo”, acrescenta Mathias, referindo-se aos serviços realizados nas duas ruas.

A proposta, segundo ele, é ampliar a Rota Acessível em todos os pontos do Centro Histórico, não somente com o alargamento das calçadas (do lado direito das ruas), assim como a implantação de rampas e travessias em trechos específicos para facilitar ainda mais a mobilidade no território.

Pelas Ruas

O projeto Pelas Ruas do Centro Antigo de Salvador, voltado à pavimentação de vias e requalificação de calçadas, é outro exemplo de intervenção urbana que prioriza a acessibilidade. É uma das primeiras grandes obras brasileiras de urbanização que segue as normas de acessibilidade e o desafio de implantar melhorias em ruas antigas, estreitas e íngremes, muitas das quais nunca foram contempladas com nenhum tipo de intervenção.

Neste projeto estão incluídas mais de 280 ruas, inclusive a Rua Chile e mais 17 vias do Centro Histórico, território inserido junto com o Pelourinho na poligonal do Centro Antigo de Salvador.

O projeto recebe R$ 124 milhões em investimentos. Na área do Centro Histórico de Salvador, que integra o lote 2 do projeto (formado por mais quatro lotes), o investimento é de R$ 42,9 milhões para a recuperação de 91 vias.

Manutenção

É de responsabilidade da Dircas/Conder a manutenção da região do Centro Histórico de Salvador, que compreende, além da reforma de telhados, recuperação do pavimento e calçadas, a iluminação especial nas travessas e recuperação externa de casarões, monumentos e igrejas. A manutenção do território tombado é realizada constantemente.

As antigas edificações existentes nesta região da cidade são importantes marcos históricos e, para a preservação, é fundamental o trabalho de conservação de fachadas (limpeza e pintura), uma vez que estão sujeitas a uma série de patologias causadas pela umidade proveniente da exposição a chuva e ao sol, provocando danos à pintura. A ação é realizada pela Conder durante todo o ano.

De novembro de 2017 a agosto de 2018, a Conder recuperou a área externa de 129 casarões do Centro Histórico de Salvador, localizados nas ruas Gregório de Matos, João de Deus, 28 de Setembro, Cruzeiro do São Francisco, das Laranjeiras e Largo do Pelourinho. Atualmente, a equipe trabalha na Rua São Francisco.

São imóveis que compõem a paisagem de um dos mais importantes pontos da capital baiana, a exemplo da Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, da Fundação Casa de Jorge Amado, do Teatro Miguel Santana, entre outros.

Comentários: