Paralisação de servidores afeta atendimentos em postos de saúde

Postado em 12/07/2018 1:22

s servidores municipais de Salvador dão continuidade, nesta quinta-feira (12), a uma paralisação de 48h deflagrada na manhã de quarta (11). A categoria reivindica reajuste de salário e auxílio-alimentação. Na capital baiana, a mobilização já compromete o funcionamento de alguns postos de saúde.

No Complexo Municipal de Saúde Dr. Clementino Fraga, o 5°Centro, os servidores paralisaram parte das atividades. No local, estão suspensos os serviços de vacinação, laboratório, curativo e enfermagem. Ainda estão em atividades as áreas de odontologia e consulta médica.

A distribuição de complemento alimentar para crianças alérgicas à proteína do leite, que ocorre no 5° Centro, também foi suspensa. A nutricionista Adriana Araújo, que costuma buscar o produto na unidade para o filho de um ano e dois meses que é alérgico ao leite, não conseguiu resgatar o complemento nesta quinta.

“Não sabia da paralisação. Fui informada agora que vou precisar voltar amanhã. Eu preciso pegar o leite porque a luta custa R$ 200 e meu filho precisa dele”, disse a nutricionista que recebe o produto no local. Segundo ela, a entrega é feita apenas no Complexo Municipal de Saúde Dr. Clementino Fraga, onde o filho dela recebe atendimento.

Em nota, a Prefeitura de Salvador informou que, apesar da suspensão de alguns serviços, as consultas médicas, entrega de medicamentos e marcação de consultas e exames especializados estão funcionando normalmente.

Na quarta-feira, a paralisação comprometeu o primeiro dia da oferta da vacina BCG, que previne a tuberculose e é indicada para recém-nascidos. De acordo com funcionários do 5° Centro, os pais que chegaram ao local para vacinar os filhos foram orientados a buscar a vacina nos multicentros Carlos Gomes, no centro da cidade, e Adriano Pondé, no bairro de Amaralina.

Na Unidade Básica de Saúde Professor Mário André, na comunidade do Pela Porco, na Sete Portas, serviços como vacinação, curativos e coleta de materiais para exames também foram suspensos nesta manhã de quinta-feira. De acordo com a coordenação da unidade, o atendimento deverá ser normalizado na sexta (13).

G1 também esteve no Centro de Saúde Manoel Vitorino, posto de saúde na Avenida Dom João VI, em Brotas, e encontrou a unidade aberta, mas com atendimentos afetados. Lá não estava acontecendo vacinação, nem atendimento médico. Funcionava apenas marcação.

Reivindicação

Em nota, o Sindicato dos Servidores da Prefeitura do Salvador (Sindseps) informou que a categoria volta a se reunir nesta quinta-feira, às 13h30, na frente da Câmara Municipal, na Praça Thomé de Souza.

Uma nova assembleia da categoria está programada para segunda-feira (16), às 7h, na Rótula do Abacaxi. No local, os servidores deverão decidir sobre a continuidade da paralisação. Após a assembleia, a categoria pretende realizar uma caminhada em direção à Avenida Tancredo Neves.

Ainda de acordo com a nota do Sindseps, os servidores reivindicam aumento linear na ordem de 23,5% para salários e auxílio alimentação. A categoria diz que, em negociações anteriores, a prefeitura propôs reajuste de 0% e reafirmou não considerar qualquer contraproposta a ser feita pela categoria.

G1

Comentários: