Praia do Forte aparece como um dos destinos mais procurados para observação de Baleias-Jubarte

Postado em 29/07/2018 3:57

Vilarejo a 50 km de Salvador atrai principalmente aqueles que já garantem reservas antecipadas

A Praia do Forte está entre os destinos brasileiros mais procurados pelos baianos e sergipanos, principalmente com a aproximação da temporada de observação das baleias-jubarte, uma vez que a Bahia é o estado brasileiro que se configura como o maior habitat de reprodução da espécie no Oceano Atlântico Sul ocidental. É no período que começa em julho e vai até outubro que muitas pessoas começam a se planejar para este espetáculo da natureza, pois no inverno e primavera, esses mamíferos migram para as áreas de acasalamento e nascimento de filhotes em regiões tropicais e subtropicais, geralmente associadas a ilhas, sistemas coralinos ou costas continentais.

“A Praia do Forte é ideal também para recessos curtos, para quem quer curtir e relaxar e prefere optar por lugares mais próximos”, explica a arquiteta Rosa Brandão, sócia-diretora do Hotel Via dos Corais e da Pousada Sobrado da Vila, localizados no charmoso vilarejo. Além de receber os turistas com muita dedicação e conforto, os restaurantes Vila Gourmet, do Sobrado da Vila e do Via dos Corais, possuem cardápio com opções variadas, como o salmão com molho de maracujá, filé de peixe com molho de alcaparras, camarão africano com toque de gengibre, entre outros. “Ter um menu rico e diversificado para atender todos os gostos é fundamental”, destaca Rosa Brandão.

Além de oferecer uma completa estrutura de serviço e lazer, fauna e flora deslumbrante, com águas cristalinas e calmas, a paradisíaca Praia do Forte dispensa o uso de automóveis e pode ser percorrida a pé, de bicicletas e de tuk-tuks com tranquilidade e segurança, reunindo belas praias a uma curta distância, além de possuir infraestrutura de sobra. Para quem gosta de esportes radicais, tem stand up paddle, tirolesa e muito mais.

Baleias-jubarte

Segundo a Wikipedia, a baleia-jubarte pode ser vista em todos os oceanos, sendo que há quatro populações reconhecidas no mundo: Pacífico Norte, Atlântico, Oceano Sul e Oceano Índico. Estas populações são distintas e, geralmente, indivíduos não atravessam a Linha do Equador, permanecendo no Hemisfério Norte ou Sul, havendo raras exceções. É uma espécie migratória, que passa os verões nas águas frias em áreas temperadas e polares e que se reproduz em climas tropicais ou subtropicais. Percorrem distâncias de mais de 25 mil km ao ano, sendo recordistas entre os mamíferos. Como exceção, as populações do Golfo Pérsico não são migratórias e permanecem em suas águas quentes o ano todo. Não há jubartes no Mar Báltico, nem no Oceano Ártico, nem na parte mais oriental do Mediterrâneo.

Essa baleia é observada em áreas costeiras e da plataforma continental ao longo de sua distribuição mundial, atravessando frequentemente regiões profundas durante a sua migração anual. No Hemisfério Sul, geralmente, alimentam-se na Antártica, em águas ao redor das Ilhas Geórgia do Sul e Sanduíche do Sul, no verão e outono. E, no inverno e primavera, migram para as áreas de acasalamento e nascimento de filhotes em regiões tropicais e subtropicais, geralmente associadas a ilhas, sistemas coralinos ou costas continentais.

No Brasil, pesquisas aéreas mostraram que sua distribuição nas águas da costa é registrada do Rio Grande do Sul até o Piauí, sendo que o Banco de Abrolhos, na Bahia, é o maior habitat de reprodução da espécie no Oceano Atlântico Sul ocidental.

Comentários: