SDR lança livro de jovem cordelista em Uauá

Postado em 11/05/2017 8:37
Uauá

Investir na juventude, valorizando a cultura local do semiárido, é um dos focos do Pró-Semiárido, projeto da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) por meio de uma parceria entre o Governo do Estado e o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (Fida). Com este objetivo, será lançado, às 16h, da quarta-feira (10), na comunidade de Testa Branca, município de Uauá, o livro Meus cordéis: de Uauá para o mundo, de Teones Almeida, filho de agricultores familiares do município contemplados pelo projeto.

Teones atua como Agente Comunitário Rural (ACR), pelo Pró-Semiárido, na articulação de quatro comunidades, das 16 atendidas pelo projeto, no município de Uauá. Foi nos encontros realizados nas comunidades que ele apresentou o cordel em homenagem ao Pró-Semiárido, despertando a atenção de Elizabeth Siqueira, Assessora de Gênero, Raça e Geração, do projeto, que ficou sabendo do sonho do jovem em ver os cordéis publicados.

Para o ACR, que apresentou o livro em público, pela primeira vez, no 9º Festival do Umbu, realizado no último finalbde semana, em Uauá, “esse momento é único pra mim. Estou realizando um sonho. Posso dizer que foi o melhor dia da minha vida, até hoje”, disse emocionado.

O projeto foi viabilizado com o intuito de incentivar as atividades artísticas e os talentos locais da juventude, e chamar a atenção dos jovens para as possibilidades de apoio do Pró-Semiárido, que não se resumem somente às atividades de produção agrícola. O coordenador do Pró-Semiárido, César Maynart, ressaltou a importância de apoiar os jovens talentos do sertão baiano. “Fortalecer e incentivar a cultura local, especialmente dos jovens, é uma das estratégias do projeto, em seu esforço para promover o desenvolvimento regional”, afirmou.

O lançamento do livro contará com a presença de cordelistas, poetas e músicos locais, numa grande celebração do talento e da cultura do semiárido baiano.

Secom

Comentários: