Sofre com sensibilidade nos dentes? Descubra as causas e como tratar

Postado em 24/11/2017 7:21
dente

Quem nunca tomou sorvete e sentiu aquela fisgada nos dentes? E um choquinho ao comer doce ou alimentos mais ácidos? Esses podem ser sintomas da sensibilidade nos dentes, o principal problema de saúde bucal no Brasil, que afeta três em cada 10 brasileiros, segundo pesquisa recente feita pela Kantar TNS a pedido da GSK.

De acordo com a dentista Thais Azevedo, os sinais de sensibilidade são variados e vão desde sensações de “choquinhos a fisgadas mais intensas”.

— Ambos provocados por alimentos gelados, ácidos ou até mesmo doces. Muitas pessoas tendem a julgar que a dor “merecedora” de atendimento é aquela de alta intensidade e, infelizmente, e aguardam a piora para buscar ajuda profissional.

Apesar da grande incidência, apenas metade das pessoas que sofre com a sensibilidade procura um dentista, explica a especialista.

Não procurar ajuda médica pode fazer com que o problema se agrave com o tempo. No caso da hipersensibilidade, o paciente pode até mesmo precisar de tratamento endodôntico, o famoso canal.

— O paciente sempre deve procurar ajuda mediante sensibilidade alterada, já que os sintomas da hipersensibilidade dentinária são semelhantes aos da cárie em estágio inicial. No entanto, na maioria das vezes o agravamento da dor exige um tratamento menos conservador e, consequentemente mais caro.

Quais são as causas?

A hipersensibilidade pode se desenvolver devido à retração gengival ou ao desgaste do esmalte, que fazem com a parte mais macia e interna do dente, chamada dentina, fique exposta. Quando isso acontece, estímulos externos (como gelado, quente, ácido ou doce) que deveriam ser barrados pela gengiva e esmalte ativam os nervos no núcleo do dente e causam dor.

Entre as principais causas da sensibilidade estão a escovação excessiva ou agressiva, problemas gengivais e ingestão frequente de alimentos e bebidas ácidas.

— Escovar com muita força e usar cremes muito abrasivos, como alguns que prometem clareamento, pode afetar o esmalte do dente. Ele também sofre com o ácido, ou seja, pode ser prejudicado por refluxo, gastrite e bulimia, por exemplo. O estresse também pode desencadear comportamentos que provocam a hipersensibilidade, como apertar muito os dentes, seja fazendo um exercício na academia ou mesmo dormindo.

Mulheres são as que mais sofrem

As mulheres são as mais afetadas pela doença, porque têm maior incidência de LCNC’s (lesões cervicais não cariosas). Elas representam 60% dos casos.

— Uma LCNC é a perda irreversível de uma parte da estrutura dentária que surge na cervical do dente (região rente à gengiva). As LCNC deixam a dentina exposta, o que causa hipersensibilidade dentinária. As causas das LCNC são bastante variadas e abrangem diversos aspectos da sobrecarga mastigatória e atrito durante a escovação.

Tratamento

Ainda segundo a pesquisa, 51% dos pacientes com sensibilidade que procuram dentistas receberam a indicação de usar creme dental específico para combater a sensibilidade. Além disso, Thais lembra que o ideal é sempre usar escovas com cerdas macias.

— Nem todos os dentes sofrem de sensibilidade, necessariamente. Então, o creme dental, além de tratar, preveni que os outros dentes fiquem sensíveis também. O tratamento com creme dental específico, geralmente, é indicado por um dentista mas pode ser comprado diretamente na farmácia e usado diariamente, não existindo tempo limite pré-determinado do uso desses produtos. É importante escolher produtos adequados para tratar e prevenir a sensibilidade e, assim, manter não apenas a saúde bucal, mas o prazer de comer aquilo que gostamos.

Além do creme dental, a sensibilidade também pode ser tratada de outras formas:

• Cirurgia de enxerto gengival, que consiste na reposição da gengiva perdida, em casos de retração gengival, recobrindo a área de retração gengival;

• Laserperapia, que consiste na aplicação de laser de baixa potência. Nesta modalidade de tratamento podem ser necessárias de 3 a 10 sessões;

• Uso de placas protetoras para esporte e/ou placa para bruxismo e/ou placa miorrelaxante para casos em que a causa é o apertamento ou o ranger dos dentes;

• Lontoforese, que consiste no uso de um aparelho que gera potencial elétrico para carrear íons a camadas mais profundas do corpo. No caso da hipersensibilidade o objetivo levar fluor ao interior dos túbulos dentinários, acarretando no bloqueio na transmissão dos impulsos nervosos, gerando efeitos tranquilizante e analgésico;

• Restaurações de resina ou adesivos dentinários, que são utilizados para obliterar os túbulos e evitar movimento de fluidos dentro deles;

• Dieta com restrição aos desencadeadores para dar tempo de recuperação ao dente.

R7

Comentários: