Tiago Nunes avalia empate do Atlético-PR de forma positiva, mas mantém pés no chão

Postado em 06/12/2018 9:19

O técnico Tiago Nunes saiu satisfeito com o empate em 1 a 1 do Atlético-PR contra o Junior Barranquilla, na Colômbia, pelo primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana. No entanto, apesar de avaliar o resultado da noite desta quarta-feira (5) de forma positiva, ele ponderou que o time precisa fazer o dever de casa para ficar com o título.

“O resultado foi importante, mas não nos qualifica automaticamente a vencer em casa. Vamos ter que jogar bem em casa, com apoio do nosso torcedor. Temos que avaliar esse resultado pelo lado positivo e corrigir algumas falhas que tivemos. Temos uma semana para o jogo da volta. O primeiro passo é focar na recuperação dos atletas. Penso que o torcedor vai ver um grande jogo, com duas equipes buscando o gol. Será uma partida muito difícil. Teremos que ter uma imposição física e técnica muito grande dentro de casa e merecer a vitória”, afirmou.

Para Tiago, o Furacão não conseguiu jogar devido a qualidade do adversário. Porém, a equipe encontrou outra forma de jogar e passou a explorar os contra-ataques.

“A qualidade do adversário acabou trazendo muita dificuldade. Não conseguimos propor o jogo como gostaríamos, mas conseguimos jogar de outra forma, explorando os contra-ataques. Acreditamos muito que esse resultado possa ter sido muito importante para que a gente possa ter uma grande atuação dentro de casa”, falou.

O Atlético-PR saiu na frente com Pablo logo no início do segundo tempo, mas sofreu o empate minutos depois. Para Tiago, o resultado na Colômbia dá confiança ao Furacão para conquistar o título do torneio continental no duelo de volta em que jogará diante da sua torcida. A partida está marcada para a próxima quarta (12), a partir das 20h45 no horário da Bahia, na Arena da Baixada.

“Nossa proposta de jogo era tentar vencer a equipe do Junior. Sabemos da força desse time, de sua torcida, mas sabemos também que temos jogadores de qualidade para tentar jogar aqui e vencer, como fizemos outras vezes jogando fora de casa na competição. Mesmo com muito domínio da bola, o Junior teve apenas três chances de gol. Teve muito volume, mas não conseguiu converter em chances claras. Nós tivemos apenas uma, que foi a do gol. Foi um jogo de poucas chances, mas que nos dá confiança para decidir dentro de casa”, analisou.

Diferentemente das outras fases de mata-mata, na final da Sul-Americana, o gol fora de casa não é usado como critério de desempate. Com isso, no próximo jogo, uma nova igualdade leva a partida para a prorrogação e persistindo o resultado, o título será decidido nos pênaltis.

Bahia Notícias

Comentários: