Chevrolet Equinox terá motor 2.0 turbo no Brasil

Postado em 12/06/2017 9:38
equinox

O SUV da Chevrolet de maior sucesso nos Estados Unidos chega ao mercado brasileiro no último trimestre do ano para revolucionar o segmento. Além de tecnologias inovadoras de segurança, conectividade, conforto e conveniência, o Equinox surpreende também pelo conjunto mecânico de alta performance.

“O Equinox foi pensado para o consumidor que busca versatilidade e tecnologias de um SUV premium, mas com potência de um superesportivo”, diz Hermann Mahnke, diretor de Marketing GM Mercosul.

O modelo será equipado com motor 2.0 turbo a gasolina de mais de 260 cavalos e cerca de 37 kgfm de torque, que o posicionaria hoje como o mais forte e potente em relação aos principais concorrentes. Cerca de 90% do pico de torque está disponível de 2.000 rpm a 5.600 rpm, mostrando elasticidade e disposição abundantes nas principais faixas de rotação.

“Este é o mais avançado motor turbinado ofertado pela Chevrolet no mundo. Foi especialmente projetado para entregar uma combinação de potência, eficiência energética e durabilidade num patamar realmente inédito para um SUV da marca”, destaca Mathias Reinartz, diretor de Sistemas de Propulsão da GM América do Sul.

O propulsor 2.0 Turbo trabalha em conjunto com a nova transmissão automática de nove marchas da GM. Além de refinar a performance e melhorar o consumo com um maior número de marchas de menores intervalos, ela é a primeira da marca com o “selectable one-way clutch”.

Este sistema compacta em um único componente as embreagens de travamento de direção e de ré, a ponto de a transmissão ter dimensões comparáveis à de 6 marchas, ainda com maior eficiência.

Este conjunto motriz é basicamente o mesmo que equipa o Camaro Turbo nos Estados Unidos.

A Equinox 2.0 Turbo será oferecida com tração integral permanente tipo AWD (All Wheel Drive), capaz de variar o envio de torque de uma roda para a outra ou até de um eixo para o outro automaticamente, aumentando a estabilidade e a aderência do veículo principalmente em pisos de menor aderência.

R7

Comentários: