Jovem morto por PM de folga já queimou corpo de aposentado

Postado em 16/05/2018 2:18

jovem morto por uma policial militar de folga em frente a uma escola em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, teria assassinado um aposentado no ano passado.

De acordo com informações da repórter da RecordTV Marcela Varasquim, Elivelton Neves Moreira, de 20 anos, é apontado como o autor do roubo ao aposentado Renato Brígido, de 58 anos, em 2017. A polícia diz ainda que o suspeito teria assassinado e queimado o corpo do aposentado.

O plano do aposentado era jantar com o filho, mas isso nunca aconteceu. O carro foi localizado no dia seguinte em um condomínio e, o corpo dele carbonizado, 20 dias após o crime.

O jovem teve a ajuda de um comparsa para a realização dos crimes. A dupla teria, também, tentado enganar as investigações policiais. Ambos foram detidos, mas liberados em seguida por que a prisão não foi em flagrante.

Assalto em escola 

Um vídeo de uma câmera de segurança mostra o momento que uma mãe, uma policial militar de folga, reage a uma tentativa de assalto na porta da escola da filha em Suzano.

A cabo Katia da Silva Sastre estava com outras mães e alunos na porta da escola da filha, aguardando a abertura do portão para a comemoração do Dia das Mães.

Na imagens, é possível ver quando um homem chega portando um revólver calibre 38. Ele anuncia o assalto e aponta a arma para o grupo. A policial, então, aproveita a movimentação para sacar a pistola e atirar três vezes contra o suspeito, que cai baleado.

A cabo Sastre é do 4º BAEP (Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar) e estava de folga, mas com a arma da corporação no momento da ocorrência no Jardim dos Ipês.

O suspeito foi encaminhado para o PS da Santa Casa de Suzano, mas não resisitiu e morreu. A ocorrência foi registrada como tentativa de roubo, seguida de lesão corporal decorrente de intervenção policial de folga.

Homenagem

O governador de São Paulo Márcio França (PSB) homenageou a policial militar Katia Sastre do 4º BAEP (Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar). “A cabo Kátia agiu por dois importantes motivos: em defesa da sociedade e de suas filhas, de sua família”, afirmou o governador. “Quero agradecer sua coragem. Uma coragem que é de nossos PMs, que são treinados e preparados.”

R7

Comentários: